Poema dedicado - GOSTEI!

Compartilhando o melhor para você

Hot

Post Top Ad

27 de ago de 2006

Poema dedicado









Era uma vez, fomos príncipe e princesa
sem sapos com caras de bruxas bizarras;
eram as cigarras nossas belas fadas madrinhas.
O faz de conta sempre cantado
sob olhos brilhantes jóias apaixonadas
na mitologia dos felizes, encantados.
Era uma vez, que a vida sempre bela
prometia sermos rei e rainha
sem dragões, num reino lúdico
onde a paz não se faria segredo.

Era uma vez... Esse tempo de vida
desabrochou em copas frondosas
e fomos iguais e fomos especiais e fomos.
Desavisados, no desencontro de um cuidado
Fugiu célere esse realismo devaneado,
deixando um sabor de mais querer,
sentenciando: não rei, somente rainha,
um deus num Olimpo desmoronado.
Tempo sem eternidade. Tempo.
Entre raios e trovões das manhãs,
surge acintosamente, sempre um novo sol.
Sobrevivo com o destino de Quíron,
você, tal Afrodite, com o príncipe,
o deus de que agora é a vez.

[osair de sousa]

4 comentários:

Ariadne disse...

Muito lindo o seu poema, Osair. Parabéns! Um abraço...

Fátima Paraguassu disse...

Sempre que puder, passarei por aqui, porque adoro o que voce escreve.Visite meu novo site, agora independente, sem a prefeitura por trás.

wwww.santacruzdegoias.com ainda em construção

Fátima Paraguassu disse...

Coloquei um w a mais

Anônimo disse...

Osair, são belos seus poemas, parabéns menino poeta, e sempre que puder estarei aqui no seu espaço para ler apreciar e viajar com seus poemas!
Lêida Gomes

Post Top Ad